Discos de Estúdio

Este é um arquivo que mantenho desde 2003, com minhas impressões sobre cada disco do Marillion.

Diria de uma forma quase segura que esta lista está na minha ordem de preferência; a preferência varia de acordo com o dia, mas esta lista está bem próxima da média para mim. Caso queiram debater suas preferências com as minhas, o espaço de comentários aí embaixo está aberto.

(Obs.: ainda preciso de mais avaliações sobre o Happiness Is The Road para saber onde ele vai na minha lista)


brave

Brave

O melhor disco da banda, com 2 anos entre composição e gravação para atingir um resultado magistral. É o disco que fez a banda começar a ficar muito mais minuciosa em seus arranjos e produções. A performance do Steve Hogarth é sublime, algo de derrubar qualquer um.

Misplaced Childhood

misplacedTudo que pode ser dito sobre o Brave pode ser dito sobre o Misplaced Childhood. O último só perde porque o Steve Hogarth é um vocalista acima da média, e a produção do Brave é mais trabalhada e bem acabada.

marblesMarbles

O Marbles para mim abre novas páginas na história da banda, que refletem até hoje, no Happiness Is The Road. Um disco absolutamente fenomenal, com um cuidado absurdo nos arranjos, sonoridades e efeitos, detalhista ao extremo e com letras absurdamente sensíveis. De todos os discos de estúdio, acho que é que melhor equilibra  os dois lados da banda: o mais épico / dramático (“Ocean Cloud“, “The Invisible Man“)  e o mais acessível / melodioso (“Genie“, “You’re Gone“).

Clutching At Straws

clutchingEm alguns momentos, mais bem trabalhado que o Misplaced Childhood, mas na comparação peca pela falta de uma ligação melhor no conjunto. Ainda assim é um disco sensacional, com músicas sensacionais.

Seasons End

seasons-end1Primeiro disco com o Hogarth, e que disco! O homem já entrou colocando seu estilo musical e lírico nas composições. Apesar do “velho” Marillion ainda ser percebido em músicas como “The King Of Sunset Town”, faixas como “The Space” já mostram o caminho dos arranjos mais profundos que a banda iria seguir. Um disco de transição, mas ainda assim com vistas ao futuro da banda.

Afraid Of Sunlight

afraid-of-sunlight1Uma continuação do Brave, indo um pouco além na “crítica ao mundo moderno” que começou lá. É um ótimo disco, mas exagera algumas vezes no excesso de clima. Ainda assim, acerta em musicas como “Beautiful”, com um arranjo pouco tipico pra uma balada FM, a extraordinária “Out Of This World”, e “Afraid Of Sunlight”. As letras flertam com um discurso mais ácido, especialmente sobre a mídia e as celebridades.

Script for a Jester’s Tear

script1O primeiro da banda, pode não agradar muito quem começa por ele, até porque a produção é um pouco deficitária e a dinâmica das músicas iria melhorar 1000% com a saída do Michael Pointer da bateria da banda. Ainda assim, não dá para desprezar um disco q tem “Script For A Jester’s Tear”, “Garden Party” e “Forgotten Sons”, só não dá para recomendar como um disco pra se ouvir de cara.

Fugazi

fugaziAinda sofre do mesmo problema de produção do Script For a Jester’s Tear. Alterna grandes momentos (“Fugazi”, “Incubus”) com músicas razoáveis (“Punch & Judy” e “Jigsaw”). Ainda bem, os grandes momentos são maioria…:)

This Strange Engine

this-strange-engineUm disco que é 8 ou 80. Supreendente em faixas como “Man Of A 1000 Faces”, uma das melhores músicas da banda, um pouco broxante em “Message Of Hope”, cheia de latinidade, mas sem sentimento…também vale por “Memory Of Water”, um show do Hogarth e a faixa-título, que conta a história da infância do Hogarth em 18 minutos de música, 10 minutos de silencio e um final escondido que faz marmanjo chorar…

somewhere-else1Somewhere Else

Acho que o que decepciona neste disco é a produção. Foi um disco muito importante, de transição para uma obra muito maior (Happiness Is The Road) e tem grandes momentos, mas ainda soa como um disco piloto. Alterna grandes momentos, como “The Other Half “e a faixa título, com outras menos interessantes (“Most Toys”). Fiz uma resenha deste disco para meu outro blog, que pode ser encontrada aqui.

Anoraknophobia

anoraknophobiaUm disco meio polêmico, mas extremamente bem escrito, arranjado, com músicas muito diferentes entre si, cheias de variações de climas, timbres e tempos. “This Is The 21st Century” é uma das melhores músicas do Marillion de todos os tempos.

holidays-in-edenHolidays In Eden

Alguma coisa soa meio estranha sobre o disco, soa muito pop em alguns momentos (apesar de extremamente comptente). Vale por “Splintering Heart”, “Cover My Eyes” e “Dry Land”.

Radiation

radiationMudança meio radical no som, com timbres estranhos e distorcidos, para contrastar com o semi-acústico This Strange Engine. Eu adoro esse disco, mas talvez pq eu seja fã e entenda a proposta da banda. Para quem está comecando, nao vale. “The Answering Machine” e “Under the Sun” são grandes musicas do disco, enquanto “Cathedral Wall” tem um timbre de teclado sensacional. “Three Minute Boy” lembra o Marillion mais de 1989, funciona bem.

Marillion.com

marillioncomUm pouco vajante demais, o disco peca muito por tentar ser moderno e clima ao mesmo tempo, o que gera uma atmosfera depressiva movida a ‘barulhinhos’, algo na linha do Radiohead. “Deserve” e “Go” são belas músicas, mas o resto do disco eh meio ‘Prozaquiano’. Tem muita gente que adora “Interior Lulu”, mas tirando o solo de teclado não me emociona. Reconheço a importância do disco (especialmente porque levou ao caminho dos discos mais recentes), mas digo com certeza que é o meu menos favorito.

6 Respostas para “Discos de Estúdio

  1. Seu gosto é meio comercial, concordo com os dois primeiros albuns escolhidos, porem radiation e marillion.com deveriam estar mais bem cotados, são discos dificeis de captar, leva tempo e horas de apreciação, tente escutar em um dia que estiver mais relaxado e com a mente mais aberta.
    Sei que é dificil escolher os “melhores” pq quem realmente gosta de Marillion gosta de todos, tanto da era Fish quanto da era Steve H, mas Marillion é puro sentimento, é escutar a música e sentir algo dentro de vc e em certo momento estravazar e soltar uma fúria interior.

    []’s

  2. A lista está ótima…realmente é difícil analizar todos os trabalhos. O Marillion é uma Banda completa, os músicos são excelentes, as letras profundas, com valor cultural grandioso – as vezes melhor intendida para quem nasceu na Inglaterra e tem conhecimento dos assuntos- em fim, parabéns a todos que curtem a banda.

    • Fabio, Kayleigh não seria uma música comercial? E Sugar Mice? E Lavender? E Cinderella Search? E Market Square Heroes?

      Isso sem contar que comercialmente o melhor momento do Marillion foi com o Fish. E isso sem contar que a banda foi chutada da EMI por não ser comercial o suficiente. Você acha que discos como o Brave ou o Afraid Of Sunlight são comerciais? Pois é, nem a EMI acha.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s