[5 pontos] Incubus

De volta com a seção 5 pontos, onde coloco as melhores das músicas da banda em 5 principais pontos que as fazem ser tão boas. Em nome do espírito da alternância, uma das músicas estranhamente menos celebradas da fase Fish, mas uma das mais sensacionais: “Incubus”.

1. A “percussão vocal”

Um recurso muito utilizado pelo Fish é o de fazer sons inustados, quase percussivos com a garganta. O exemplo maior é o de Incusbus, chegando a ser parte da letra. o “uhhhhhhhhhh ah!” é marcante.

2. O solo do Steve Rothery

Nada de novo em dizer que várias músicas do Marillion criam uma tensão, um nervosismo quase insuportável para o solo de guitarra. Mas no caso de “Incubus”, o solo é uma ponte para criar essa tensão, que leva ao final da música. É definitivamente um dos solos mais inspirados do Steve Rothery.

3. A catarse do coração partido

A letra de “Incusbus” é quase que um template da era Fish: extremamente emcional, primeira pessoa e – acima de tudo – tratando de amores perdidos. Com um uso de metáforas precisas (como comparar um romance à produção de uma obra), o sentimento de rancor após a separação é explicado com carga dolorosa nos quase 10 minutos da música.

4. O break de piano

A seção central da música é pontuada por um piano e voz, e enquanto o Fish declama suas dores, Mark kelly entrega uma melodia até simples no formato, mas marcante. Uma das mais emocionantes da discografia da banda.

5. O brilho para o final do disco

Por mais que “Emerald Lies” e “She Chameleon” sejam boas, essas duas faixas derrubam um pouco o começo estrondoso do Fugazi; fatalmente, em um disco algumas músicas acabam sendo “menos” que as outras. Mas o final do disco é feito brilhante pela faixa -título e por “Incubus”. É uma música que rivaliza com a faixa-título e proporciona alguns dos melhores momentos de encerramento da discografia da banda. Creio que na era Fish a dupla seja o melhor encerramento de disco da banda.

Anúncios

4 Respostas para “[5 pontos] Incubus

  1. Rodrigão!
    Nem mais… tá tudo dito!
    “Incubus” é mesmo nota 10!
    Muita noite de adolescencia no meu “refugio” sorvendo cada nota!…
    Sim… é (talvez) o solo mais incrível de Deus da era Fish!
    Abraço transatlântico
    Pine

  2. Com certeza Rodrigo!

    Ainda mais na versão ao vivo.

    Cara, eu também curti muito essa música nos meus 16/17 anos.

    Saudações!

  3. Assino embaixo!! Cara, você tirou as palavras dos meus dedos!!! rs

    …é uma pena que eu tenha vindo a conhecer o MARILLION apenas em 1990 (Holywood Rock), ou seja, depois da era FISH. Incubus é uma das minhas ‘all time fave’! Simplesmente brilhante em cada espaço de segundos, em cada giro do vinil…
    Mesmo não sendo a faixa título, pra mim ela sempre foi a base do disco todo. A idéia central.
    …e ainda nutro a esperança (???) de que ela retorne ao live set!^^

    Parabéns pelo trabalho!
    Grande abraço e vida longa ao teu AWESOME blog!!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s