[L=M] Playlist: O Melhor do Marillion acústico

2699845944_7c109840f0

O nome do post já explica a intenção. O Marillion fez diversas versões acústicas de suas músicas, algumas para discos acústicos, outras em shows ou CDs de Natal e outras que nasceram acústicas.

Segue uma lista do melhor da banda, incluindo uma cover aqui e ali. Coloco entre parênteses onde a música pode ser encontrada (muito útil no caso de uma múusica com várias versões). Se sentirem falta de alguma, mandem ver nos comentários.

“Beautiful” (Piss-up In A Brewery / Unplugged At The Walls)

Um dos fatores mais instigantes desta canção é o órgão, que tem uma presença absurda na melodia principal. Esta versão acústica figura como uma das melhores justamente porque, com a música livre da concorrência com outros instrumentos “plugados”, esta presença se multiplica. Além disso, a interpretação do Steve Hogarth, menos processada e mais “orgânica” abrilhanta a versão.

“Cinderella Search” (Piss-up In A Brewery)

Uma das raras versões acústicas de música da era Fish, “Cinderella Search” figura em uma belíssima interpretação da banda toda, especialmente do Steve Hogarth. Os arranjos são perfeitos, como se a música tivesse sido feita para o formato. Uma pena que a música não é executada em sua totalidade, terminando no break de piano que divide a música para a segunda parte.

“Hard as Love” (Less Is More)

Vale música de disco a ser lançado? Uma das primeiras faixas liberadas pela banda foi a versão para uma das músicas do Brave menos favoritas de boa parte dos fãs. E que versão! Vendeu a idéia do disco para muitos, por ser uma releitura quase completa da música. Tudo é perfeito: as harmonias vocais surpreendentes, quase como coral, bem diferente de como a banda trata essas harmonias, o arranjo de piano, a introdução de novas melodias e a variedade de andamentos. Uma grande leitura de uma música que nasceu de novo.

“Go!” (Piss-up In A Brewery)

Essa música é belíssima por si só, em sua versão original. Mas ela realmente se revela em sua versão acústica, com uma melodia mais harmoniosa no violão que na guitarra e uma sutileza de arranjo que casa muito bem com a letra.

“Beyond You” (Unplugged At The Walls)

Assim como em “Beautiful”, a versão acústica de sua companheira de Afraid Of Sunlight ressalta o impressionante arranjo de teclado, os contornos “fantasmagóricos” da música se acentuam com uma interpretação mais sombria do Steve Hogarth, casando com o andamento mais arrastado. perfeita para um bistrô esfumaçado à meia luz.

“Answering Machine” (Piss-up In A Brewery / Unplugged At The Walls)

Como transformar uma música lotada de distorções em uma acústica? A versão de Answering Machine é interessantíssima por trazer um arranjo de violão e piano que só pode ser explicado como algo vindo de um CD do Jethro Tull. Entra na lista pelo desafio e pela qualidade da adaptação.

“Sugar Mice” (vários)

Versão muito delicada e reduzida da música do Clutching At Straws, “Sugar Mice” vem em formato violão + voz na maioria de suas aparições. Existem variações, mas esta definitivamente é a melhor, especialmente porque oferece espaço para o Steve Hogarth brilhar. Ok, é outra versão que termina na metade, mas ainda assim é belíssima.

“Made Again” (Brave)

Linda. Essa música, já nascida no formato acústico, cumpre a dificílima missão de terminar um álbum depois da trinca “The Great Escape” / “The Last Of You” / “Falling From The Moon”. Uma das melhores letras da banda, fácil, e um arranjo tão delicado e repleto que te dá uma sensação de transcedência durante a música. Ela te aperta até o clímax, e te solta leve, leve.

“Fake Plastic Trees” (Piss-up In A Brewery)

É música de banda de “muderninhos“? É. Mas a versão para a música do Radiohead não pode ficar fora da lista, pela altíssima qualidade de arranjo instrumental e pela interpretação do Hogarth, menos afetada e certamente mais inpisrada que a original. A música em seu original é belíssima, mas com o Marillion ganha uma delicadeza que tranfere a posse da canção para a banda. É versão, não é cover.

Anúncios

2 Respostas para “[L=M] Playlist: O Melhor do Marillion acústico

  1. Pingback: …and less is like more… « Script For Happiness – Um blog sobre Marillion·

  2. Na minha lista não poderia faltar a versão de Holloway Girl que tem no UATW, que para mim virou praticamente a versão definitiva desta música, muito disso graças à performance do Hogarth. Uma Sugar Mice que saiu do Zodiac (eu acho), eu também acho sensacional, nela o Hogarth se “apropria” da canção e transforma numa música dele.
    Abraço.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s